Uma jovem angolana de seus 34 anos de idade, cujo o nome não revelado, está a contas com a polícia daquele país, indiciada de tirar a vida do seu próprio filho de sete meses depois que o mesmo foi rejeitado pela família do seu marido, já falecido.

O caso aconteceu em ondjiva, na província de Cunene, Segundo o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa do Comando Provincial da Polícia Nacional, intendente Nicolau Tuvecalela, a , como uma forma de não ser descoberta pelo crime.

A mulher justificou a acção, repudiada por vizinhos, com o facto de, alegadamente, o filho ter sido rejeitado pelo pai antes mesmo de nascer e, já na condição de viúva, ser acusada pelos familiares do falecido marido de ter feito o filho com outro homem.

O processo contra a  acusada prossegue os procedimentos jurídicos legais que se impõem, conforme afirmou Nicolau Tuvecalela ao JA.

(Angorussia)